It is the cache of http://www.scielo.oces.mctes.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0873-65612011000100009. It is a snapshot of the page. The current page could have changed in the meantime.
Tip: To quickly find your search term on this page, press Ctrl+F or ⌘-F (Mac) and use the find bar.

Etnográfica - Por onde anda o sentimento de insegurança? Problematizações sociais e científicas do medo à cidade

SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número1Construtores da bio(in)segurança na base de dados de perfis de ADNAprender cinema, aprender antropologia índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Em processo de indexaçãoCitado por Google
  • Não possui artigos similaresSimilares em SciELO
  • Em processo de indexaçãoSimilares em Google

Bookmark

Etnográfica

versão impressa ISSN 0873-6561

Etnográfica v.15 n.1 Lisboa fev. 2011

 

Por onde anda o sentimento de insegurança? Problematizações sociais e científicas do medo à cidade

 

Luís Fernandes * e Ximene Rêgo **

* Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, Portugal ; jllf@fpce.up.pt

** Bolseira de doutoramento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, Portugal; ximene@gmail.com.

 

RESUMO

O debate público adotou as questões da (in)segurança, fazendo fixar imagens do que são o crime e a violência em Portugal. Essas imagens estão repletas de ambiguidade, não só pelos próprios paradoxos que a comunidade científica já mostrou serem constitutivos do sentimento de insegurança, mas igualmente pela profusão das falas dos diversos atores sociais em cena – da comunicação social às instâncias de controlo formal. Aqui, seguimos a rotação operada do medo à cidade, com o surgimento dos perigos modernos, para o sentimento de insegurança, tomado como objeto das ciências sociais. Analisamos, depois, dois determinantes da sua construção: os seus elementos ecossociais – a partir de um estudo em curso no Centro do Porto; e a sua dimensão mediática – a partir de casos recentes fortemente mediatizados. Espera-se, desta forma, contribuir para reduzir o grau de ambiguidade que tem marcado a expressão pública deste objeto.

Palavras-chave: sentimento de insegurança, crime, comunicação social, etnografia.

 

Where is the feeling of insecurity? Social and scientific questions concerning the fear of the city

ABSTRACT

The public debate has taken the issues of (in)security, creating fixed images of what is crime and violence in Portugal. Images full of ambiguity, not only for their paradoxes that the scientific community has shown to be constitutive of the feeling of insecurity, but also by the profusion of utterances of the various social actors on the scene – from the media to the instances of formal control. Here, we follow the shift from the fear of city, with the advent of modern dangers, to the feeling of insecurity, which is the subject of social sciences. We analyse thereafter two determinants of its construction: its eco-social elements – from an ongoing study at the Centre of Porto, and its public dimension – from recent cases with a high media exposure. We expect thus to contribute to a reduction of the degree of ambiguity that has marked the public expression of this subject.

Keywords: feeling of insecurity, crime, mass media, ethnography.

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

BIBLIOGRAFIA

ANDRADE, Sérgio, 2008, “Por onde andam os ‘brandos costumes?’”, Jornal de Notícias, 2 de setembro, 12.

CALDEIRA, Teresa, 2000, Cidade de Muros: Crime, Segregação e Cidadania em S. Paulo. São Paulo, Editora 34.

DELGADO, Cecília, 1998, Cenário do Delito. Porto, Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, tese de mestrado em Planeamento e Projeto do Ambiente Urbano.

FATELA, João, 1989, O Sangue e a Rua. Lisboa, Dom Quixote.

FERNANDES, Luís, 1994, “Topografia urbana do medo: os «espaços perigosos»”, Revista do Ministério Público, 59: 11-27.        [ Links ]

—, 2004, “Bases ecossociais do sentimento de insegurança”, Educação, Sociedade e Culturas, 21: 93-112.

—, 2006, “O medo à cidade”, em Actas do Encontro de Intervenção Social: Saberes e Contextos. Porto, Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti, 99-110.

FERNANDES, Luís, e Maria CARVALHO, 2000, “Problemas no estudo etnográfico de objectos fluidos: os casos do sentimento de insegurança e da exclusão social”, Educação, Sociedade e Culturas, 14: 59-87.

FONSECA, Ernesto, 1998, Representação Social da Insegurança: Crime e Crise. Porto, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, tese de mestrado em Psicologia Social.

LAGRANGE, Randy, Kenneth FERRARO, e Michael SUPANCIC, 1992, “Perceived risk and fear of crime: role of social and physical incivilities”, Journal of Research in Crime and Delinquency, 29 (3): 311-334.

MACHADO, Carla, 2004 [1999], Crime e Insegurança: Discursos do Medo, Imagens do Outro. Lisboa, Editorial Notícias.

MAGNANI, José, 2002, “De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana”, Revista Brasileira de Ciências Sociais, 17 (49): 11-29.

MAI, 2008a, Relatório Anual de Segurança Interna: Ano 2007, Gabinete Coordenador de Segurança, Ministério da Administração Interna, disponível em <http://www.mai.gov.pt/data/documentos/RelatoriosSegurancaInterna/RASI2007_Versao-Parlamento.pdf>.

—, 2008b, “Portugal: o 9.º país mais seguro do mundo”, Ministério da Administração Interna, disponível em <http://opiniao.mai-gov.info/2007/05/31/portugalo-9%c2%ba-pais-mais-seguro-do-mundo/>.

MANITA, Celina, 1997, “Insegurança e criminalidade nos media: narrativas da imprensa diária”, em Insegurança Urbana na Cidade do Porto: Estudos Interdisciplinares, vol. III. Porto, Observatório Permanente de Segurança, não publicado.

MANITA, Celina, e Carla MACHADO, 1999, “Percepções e figuras do medo na cidade do Porto: 2.º inquérito sobre insegurança urbana”, Insegurança Urbana na Cidade do Porto: Estudos Interdisciplinares. Porto, Centro de Ciências do Comportamento Desviante, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Universidade do Porto, vol. 3, não publicado.

NEVES, Tiago, e Luís FERNANDES, 1999, “Periferias urbanas, sentimento de insegurança e controlo social: relatório do projecto ‘Insegurança Urbana na Cidade do Porto: Estudos Interdisciplinares’”, coord. Cândido da Agra.

PAIN, Rachel, 2000, “Place, social relations and the fear of crime: a review”, Progress in Human Geography, 24 (3): 365-387.

RODRIGUES, Cláudia, 2002, O Porto Desigual e a Transacção entre Personagens e Lugares: O Centro Histórico, a “Ilha” e o Bairro Social. Lisboa, Instituto Superior de Psicologia Aplicada, tese de mestrado em Psicologia Ambiental.

SANTOS, Eduardo, 1997, A Cidade e o Crime: Uma Perspectiva Dinâmica. Porto, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, tese de doutoramento.

SKOGAN, Wesley, 1990, Disorder and Decline. Nova Iorque, The Free Press.

—, 1995, “Measuring what matters: crime, disorder, and fear”, disponível em <http://www.ncjrs.gov/pdffiles1/ 170610-2.pdf> (acesso em 20  /  05  /  2010).

TAVARES, Cynthia, e Geoffrey THOMAS, 2007, “Crime and criminal justice”, Statistics in Focus: Population and Social Conditions, 15 / 2007, European Communities, disponível em <http://epp.eurostat.ec.europa.eu/cache/ITY_OFFPUB/KS-SF-07-015/EN/KS-SF-07-015-EN.PDF>.

TAYLOR, Ralph, 1989, “Toward an environmental psychology of disorder: delinquency, crime, and fear of crime”, em Handbook of Environmental Psychology. Nova Iorque, John Wiley and Sons.

VAZ, Maria João, 1998, Crime e Sociedade: Portugal na Segunda Metade do Século XIX. Oeiras, Celta Editora.

—, 2006, “A introdução da polícia civil em Portugal: entre projectos e realidades, os equívocos de uma política de segurança”, em Pedro Almeida e Tiago Marques (orgs.), Lei e Ordem: Justiça Penal, Criminalidade e Polícia, Séculos XIX-XX. Lisboa, Livros Horizonte.

WODC, 2003, European Sourcebook of Crime and Criminal Justice Statistics – 2003.Haia, Wetenschappelijk Onderzoek en Documentatiecentrum, disponível em <http://www.europeansourcebook.org/esb2_Full.pdf >.

—, 2006, European Sourcebook of Crime and Criminal Justice Statistics – 2006.Haia, Wetenschappelijk Onderzoek en Documentatiecentrum, disponível em <http://www.europeansourcebook.org/esb3_Full.pdf>.