It is the cache of http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-86502003000100012. It is a snapshot of the page. The current page could have changed in the meantime.
Tip: To quickly find your search term on this page, press Ctrl+F or ⌘-F (Mac) and use the find bar.

Acta Cirurgica Brasileira - The current medical subjects headings in two brazilian vascular medical journals

SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 issue1The importance of experimental microsurgery for transplantation author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Cirurgica Brasileira

On-line version ISSN 1678-2674

Acta Cir. Bras. vol.18 no.1 São Paulo Jan./Feb. 2003

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502003000100012 

12 – EDITORAÇÃO/DESCRITORES

AVALIAÇÃO DE DESCRITORES NA ANGIOLOGIA E CIRURGIA VASCULAR EM ARTIGOS PUBLICADOS EM DOIS PERIÓDICOS NACIONAIS1

 

Eymard Francisco Brito de Oliveira2
Heriberto Brito de Oliveira3
João Luiz Moreira Coutinho de Azevedo4
Djalma José Fagundes5

 

 

Oliveira EFB, Oliveira HB, Azevedo JLMC, Fagundes DJ. Descritores em ciências da saúde em artigos de periódicos, na área de angiologia e cirurgia vascular. Acta Cir Bras [serial online] 2003 Jan-Fev;18(1). Disponível em URL: http://www.scielo.br/acb.

RESUMO: A recuperação de referências na literatura biomédica está normatizada pelos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS), contudo os autores de artigos científicos nem sempre obedecem ao regulamentado, o que causa dificuldade a localização da informação. Os autores avaliaram os Descritores em Ciências da Saúde em artigos de dois periódicos nacionais, na angiologia e cirurgia vascular no período de 1995 a 2000 em relação a adequada utilização dos descritores de acordo com a listagem do DeCS 2001 e do MeSH 1994. Foram estudados os descritores em 186 artigos publicados em 02 periódicos da especialidade. Foi observado que a maioria dos descritores empregados não estão de acordo com o DeCS 2001 e com o MeSH 1994. Concluiu-se que a indexação deva ser uma atividade dinâmica e que novos termos devem ser acrescentados para acompanhar o desenvolvimento da especialidade.Por outro lado, percebe-se uma desinformação por parte dos autores, que devem ser estimulados a utilizarem corretamente os descritores e a sugerirem a inclusão dos novos termos, como prevê a sistemática da indexação.

DESCRITORES: Descritores. Ciência da informação. Resumos e indexação. Catalogação, arquivamento.

 

 

INTRODUÇÃO

O grande número de informação gerado pelas publicações médicas leva a dificuldade de sua localização e sua apreciação ampla e segura.

A necessidade de classificar as informações para futuros levantamentos em estudos e pesquisas levou a criação de descritores, também conhecidos como unitermos ou palavras-chaves (key-words), tornando mais fácil o levantamento bibliográfico.

Os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS), derivados do termo em língua inglesa Medical Subject Headings (MeSH) são publicados pela Biblioteca Nacional de Medicina Norte Americana (U.S. National Library of Medicine), responsável pela base de dados Medline que é uma das mais completas e utilizadas na pesquisa bibliográfica na área das Ciências da Saúde.

Outras bases de dados como o Lilacs (Literatura Médica da América Latina e do Caribe) e Scielo (Scientific Eletronic Library Online) também disponíveis na Biblioteca Regional de Medicina (Bireme) usam a padronização dos DeCS.

É fundamental que os autores dos trabalhos científicos façam a escolha criteriosa e adequada destes unitermos, para que a indexação permita a recuperação de seus trabalhos, quando procurados pelos seus pares em uma pesquisa bibliográfica (1) .

Estudo dos descritores utilizados em 29 teses de mestrado em Tisiologia e Pneumologia do IDT-UFRJ (1990-1996), mostra que somente 14% dos descritores utilizaram adequadamente o DeCS (2) .

Especificamente em Cirurgia Vascular e Angiologia cerca de 800 unitermos foram identificados nos DeCS (3).

 

OBJETIVO

Verificar a adequação dos unitermos utilizados por autores nacionais da especialidade de Cirurgia Vascular e Angiologia além de identificar modos de adequar a utilização e abrangência na padronização dos unitermos.

 

MÉTODOS

Foram pesquisadas duas revistas nacionais especializadas em temas vasculares, publicadas no período de 1995 a 2000.

As características de cada uma delas estão especificadas no quadro I. A denominação das revistas foi mantida em sigilo em resguardo de conflito de interesses.

 

 

Foram inicialmente listados todos os unitermos utilizados nos artigos publicados pelas duas revistas. A seguir esses termos foram confrontados com os unitermos existentes nos DeCS e com os unitermos listados por Timi et al.(3) a partir do MeSH versão 1994.

A análise da confrontação procura verificar a freqüência dos termos citados nas duas listas ou em cada lista separadamente e os termos que não constaram de nenhuma das listas.

Considerando que a lista em língua inglesa (MeSH) tem mais abrangência foram consideradas as versões MeSH 2.000 e MeSH 1994.

 

RESULTADOS

 








 

 

 

DISCUSSÃO

Visando confrontar os dados obtidos nesta pesquisa e os possíveis dados existentes na literatura, realizou-se uma busca nas bases de dados Lilacs e Medline no período de 1994 a 2001, usando o termo Descritor.

Encontrou-se quatro trabalhos, embora nenhum deles com a amostra e procedimentos iguais ao deste estudo.

Mesquita Júnior, Cepeda e Bella (5) detectaram a ausência de uma base de dados que fosse útil para a especialidade médica de homeopatia e elaboraram um vocabulário homeopático específico que foi posteriormente incorporado pela Bireme.

Azevedo, Población e Goldenberg,(1) estudaram 46 artigos publicados na Acta Cirúrgica Brasileira, com a intenção de analisar o grau de adequação das propostas de indexação dos autores e daquelas feitas pela Bireme e concluíram que: (1) os autores não consultaram o DeCS com a intensidade que era desejável; (3) o DeCS ofereceu terminologia médica adequada para a indexação, entretanto novos descritores mereciam ser incluídos, enquanto outros necessitavam revisão; (2) os indexadores da Bireme se ressentiam da falta de embasamento especializado na área biomédica; (4) havia necessidade de os autores conhecerem melhor o DeCS e de os indexadores da Bireme terem uma acessória na área biomédica.

Lowe e Barnett (6) publicaram artigo sobre a utilização do Medical Subject Headings (MeSH) na realização de buscas bibliográficas. Estes autores analisaram a estrutura e o uso do MeSH, ressaltando de que maneira este vocabulário poderia auxiliar as dificuldades em pesquisas na Medline. Concluíram que a crescente importância desta base de dados e a tendência de os próprios usuários realizarem seus levantamentos bibliográficos tornavam crucial que os profissionais de saúde se familiarizassem com o MeSH.

No VI Congresso de Pneumologia e Tisiologia do Rio de Janeiro, Rosas e Guimarães (7) apresentaram pôster sobre a utilização do DeCS por autores de comunicações científicas de um periódico nacional - o Jornal de Pneumologia. Estes autores verificaram que nos fascículos publicados em 1996, não havia menção de descritores em 29% dos artigos e que a metade dos descritores empregados não se encontrava no DeCS.

Rosas (1) estudou 29 dissertações de mestrado do curso de mestrado em Tisiologia e Pneumolologia do IDT-UFRJ e concluiu que: (1) 14% dos autores, das tese e dissertações do curso em tela (1990/1996), utilizam adequadamente o DeSC; (3) 47% dos descritores empregados, nas teses e dissertações do curso em tela são adequados segundo o DeCS; (2) O DeCS oferece termos médicos adequados para a indexação das teses e dissertações do curso em tela, pois apenas 6% dos descritores empregados e que não constam do DeCS, merecem ser incluídos em uma próxima edição.

A amostra desta pesquisa foi constituída pelos artigos publicados nas duas revistas especializadas em angiologia e cirurgia vascular no período de 1995 a 2000.

Dos 313 termos descritos dos artigos analisados 176 (56,23%) não constavam da lista dos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) da Bireme ou dos termos agrupados do Medical Subject Headings (MeSH) por Timi et al. (3) . Considerando que o conhecimento do artigo científico em língua inglesa é ponto fundamental para a sua citação e ampliação de sua divulgação, verifica-se que as chances destes trabalhos estão bem diminuídas.

Já 106 termos (33,86%) constavam do DeCS e 79 termos (25,24%) constavam do MeSH agrupados por Timi et al. (3) .

Um total de 63 termos (20,13%) constavam nas duas listagens analisadas.

Em relação aos termos citados mais de uma vez os termos que não constavam em nenhuma das duas listagens somaram 33 (29,46%), os que constavam do DeCS somaram 45 (40,17%) e os do MeSH somaram 34 (30,35%).

 

CONCLUSÕES

1- A maioria dos descritores dos artigos em angiologia e cirurgia vascular (56,23%), não constam da listagem dos Descritores em Ciências da Saúde da Bireme como seria desejável.

2- Novos termos que não constam na listagem dos Descritores em Ciências da Saúde da Bireme devem ser acrescentados em listagens futuras para acompanhar o desenvolvimento da especialidade.

3- As sociedades médicas devem incentivar seus autores a buscar os termos constantes na listagem dos Descritores em Ciências da Saúde para seus artigos e os indexadores da Bireme devem manter um intercâmbio de informações técnicas com estas sociedades de especialidades médicas e curso de pós-graduação na área.

 

REFERÊNCIAS

1 - Azevedo JLMC, Población DA, Goldenberg S. Descritores nos artigos científicos. Acta Cir Bras 1990; 5(2):35-54.        [ Links ]

2 - Rosas P,Guimarães CA, Judice LF, Perreira CAC, Válio EBM. Descritores em ciências da saúde nas teses e dissertações de mestrado na área de doenças respiratórias. Acta Cir Bras 1999;14(1):43-6.        [ Links ]

3 - Timi JRR, Stanischesk IC, Abrão E. Unitermos de uso mais freqüente para o angiologista e cirurgião vascular. Angiol Cir Vasc 1994;10(3):104-9        [ Links ]

4 – DeCS. Descritores em Ciências da Saúde. 4.ed. São Paulo: BIREME/OPAS; 2001.        [ Links ]

5 - Mesquita Jr A, Cepeda LMR, Bella S. Indexação bibliográfica computadorizada em homeopatia: uma revolução no estudo e na pesquisa. Rev Homeopatia 1990;55 (3):80-5.        [ Links ]

6 - Lowe HJ, Barnett GO. Understanding and using the medical subject headings (MeSH) vocabulary to perform literature searches. J Am Med Assoc 1994;271 (14):1103-8.        [ Links ]

7 - Rosas P, Guimarães CA. Descritores em ciências da saúde em periódico nacional. Rev Pulmão 1997; 6 (3):41.        [ Links ]

 

 

Oliveira EFB, Oliveira HB, Azevedo JLMC, Fagundes DJ. The current medical subjects headings in two brazilian vascular medical journals. Acta Cir Bras [serial online] 2003 Jan-Feb;18(1). Available from URL: http://www.scielo.br/acb.

ABSTRACT: MeSH - indexed internet health directories must provide a fast and safety research of the scientific information. Otherwise, for this purpose, it is necessary that the authors choose the adequate and available headings. Our research goal is to explore two brazilian vascular medical journals from the headings included in MEDLINE and LILACS documents and determine how well the authors were using the medical subject headings. The Medline and Lilacs database were searched from published 1996 to 2000 and queried with the list of DeCs 2001(MeSH Portuguese version) and MeSH 1994. We describe here that about 186 articles were reviewed, in two journals of the speciality and found that most of them were out of the standard terms suggested by the MeSH. We concluded, despite the indexation must be a dynamic performance, the authors must be better informed about the rules of inclusion of new headings and how to apply the adequate key words.

KEY WORDS: Journal article. Headings. Evaluation studies. Validation studies.

 

 

Conflito de interesse: nenhum
Fonte de financiamento: nenhuma

Endereço para correspondência:
Eymard Francisco Brito de Oliveira
Praça Henrique Batista, 10
37010-690 Varginha – MG
eymard@varginha.br

Data do recebimento: 15/08/2002
Data da revisão: 11/09/2002
Data da aprovação: 21/11/2002

 

 

 

1. Trabalho realizado no Programa de Pós Graduação em Técnica Operatória e Cirurgia Experimental (TOCE) da Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina (UNIFESP - EPM).
2. Aluno do Curso de Fundamentação para a Docência e Pesquisa em Técnica Operatória e Cirurgia Experimental da UNIFESP - EPM. Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Mestre e Doutorando em Educação - Universidade Vale do Rio Verde de Três Corações - MG.
3. Médico Residente em Cirurgia Cardiovascular da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte - Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais.
4. Professor Adjunto da Disciplina de Téc. Oper. e Cir. Exper.- UNIFESP - EPM.
5. Professor Adjunto da Disciplina de Téc. Oper. e Cir. Exper. e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em TOCE - UNIFESP - EPM.