It is the cache of http://www.revistas.ufg.br/index.php/vet/article/view/1829. It is a snapshot of the page. The current page could have changed in the meantime.
Tip: To quickly find your search term on this page, press Ctrl+F or ⌘-F (Mac) and use the find bar.

QUALIDADE DE LEITE CRU PRODUZIDO E ARMAZENADO EM TANQUES DE EXPANSÃO NO ESTADO DE GOIÁS | Martins | Ciência Animal Brasileira

QUALIDADE DE LEITE CRU PRODUZIDO E ARMAZENADO EM TANQUES DE EXPANSÃO NO ESTADO DE GOIÁS

Márcio Eduardo Pereira Martins, Edmar Soares Nicolau, Albenones José de Mesquita, Rodrigo Balduino S. Neves, Marcele Louise Tadaieski Arruda

Resumo


Este estudo objetivou avaliar a qualidade de leite cru em trinta amostras colhidas de tanques de expansão no estado de Goiás, num volume de 1.000 mL. Para tanto, realizou-se contagem bacteriana total (CBT) por citometria de fluxo, bem como se procedeu a pesquisas de resíduos de antimicrobianos pelo kit Delvotest® SP e de fraude por adição de água oxigenada, formol, bicarbonato de sódio e hidróxido de sódio. Em 100% das amostras notou-se ausência de resíduos de antimicrobianos. Além disso, os testes físico-químicos não indicaram a presença de água oxigenada, formol, bicarbonato de sódio e hidróxido de sódio. Do total dos tanques de expansão, 30% (9/30) apresentaram CBT >106 UFC/mL, em 46,67% (14/30) a CBT estava entre 105 e 106 UFC/mL e em 23,33% (7/30) havia CBT <105 UFC/mL. As médias observadas foram CBT de 9,2 x 106 UFC/mL, CBT de 4,5 x 105 UFC/mL e CBT de 5,1 x 104 UFC/mL, respectivamente. Dos tanques de expansão com CBT >106 UFC/mL, 100% eram de uso coletivo e mostraram valores de CBT significativamente maiores (P<0,05). Medidas de educação e treinamento quanto aos procedimentos de obtenção higiênica do leite, à higiene dos equipamentos de ordenha, à correta implantação e execução de programa de controle de mastite e do sistema de refrigeração da matéria-prima pós-ordenha precisam ser adotadas visando à melhoria da qualidade do leite cru. Tais medidas beneficiam tanto a indústria, concorrendo para rendimento da matéria-prima, quanto o produtor rural, pela possibilidade de remuneração mais vantajosa, por empresas do setor lácteo que adotam o sistema de pagamento por qualidade do leite. Favorecem o comércio, pelo aumento da vida de prateleira dos derivados lácteos, e o consumidor, que adquire produto de mais qualidade.

PALAVRAS-CHAVES: Leite cru, qualidade, resíduos, UFC.

Palavras-chave


leite cru, tanques

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Logotipo do IBICT


Visitantes: contador de visitas